A utilização da técnica Laser Scanner 3D para a produção de modelos e réplicas de peças arqueológicas é realidade no Brasil, fruto de parceria firmada entre a Zanettini e a empresa canadense Up3D. Conheça os resultados e aplicações dessa tecnologia para fins científicos, conservação e educação.






Conteúdo não disponível para ser visualizado no navegador internet explorer, para visuzalizar o conteúdo faça o download de outro navegador:

Download Google Chrome


Download Firefox

Contrariamente do que se imagina, as c idades preservam em seu subsolo uma enormidade de elementos úteis à reconstituição de aspectos relativos à sua gênese e transformação, por vezes comprovando, complementando ou até mesmo contrariando aquilo que se escreveu a respeito.

Do mesmo modo, a Arqueologia em interação com especialistas assume um papel importante quer na recuperação de edifícios históricos, como no processo de modernização de equipamentos e áreas urbanas.

Nesse sentido, programas de Arqueologia Urbana têm sido uma constante dentre os projetos desenvolvidos pela Zanettini Arqueologia em cidades de porte diverso como Manaus (AM), Campinas (SP), Vila Bela da Santíssima Trindade (primeira capital do Mato Grosso), ou São Paulo.

Escavações realizadas em áreas degradadas (região da Luz) ou zonas economicamente dinâmicas como o Itaim Bibi e Pinheiros têm revelado aspectos inéditos a respeito da maior metrópole do país.

Os estudos conduzidos no bairro da Lapa, por exemplo, permitiram identificar estruturas da Fábrica de Louças Santa Catharina (1913-1939), primeira manufatura de louças brancas implantada no Brasil. Durante as escavações foram resgatadas milhares de peças inteiras, ajudando a retraçar aspectos em torno da história da industrialização e consumo.

Escavações desenvolvidas em uma quadra localizada na região central da cidade (pejorativamente batizada de "Cracolândia"), onde será instalado o Centro Educacional Paula Souza, a sua vez, permitiram examinar aspectos da sociedade paulistana na transição dos séculos XIX e XX.

Já no bairro do Itaim Bibi, estudos conduzidos para a avaliação de impactos gerados a um sítio arqueológico permitiram identificar fragmentos da cerâmica histórica mais antiga encontrada até então na metrópole, o que possibilitou a reunião de informações importantes para a construção do passado dessa região em franca transformação.

Na região de Pinheiros, no local onde será erguido um complexo habitacional e comercial os pesquisadores identificaram vestígios ligados aos primórdios de sua fundação, sobretudo, fornos datados do século XVII/XVIII, nos colocando diante do mais antigo centro oleiro da região metropolitana.

Exemplos como esses demonstram que é possível compatibilizar a preservação do patrimônio arqueológico em compasso com o desejado desenvolvimento, dentro de uma perspectiva responsável, contribuindo para a qualidade de vida no meio urbano.